TERAPIA INFANTIL: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER

TERAPIA INFANTIL: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER

Crescendo com Saúde Mental

Algumas crianças apresentam muitas brigas, podendo ser na escola ou no lar, podem ter dificuldades para repartir suas coisas ou brinquedos, outras podem ser muito tímidas ou nervosas próximas de outras crianças ou pessoas estranhas, ou até mesmo muito preocupadas com as coisas que ocorrem no seu meio, um problema é uma coisa que preocupa, ou que o faz sentir-se mal, um problema faz com que você sinta vontade de chorar, ou de bater em alguém, ou de ficar Sozinho.

É difícil ter esses problemas e isto incomoda e é desconcertante para as crianças, elas não sabem e não compreendem de onde vêm esses problemas, desta forma, elas não conseguem fazer com que eles vão embora, e por esta razão elas necessitam de ajuda. Muitas vezes, os pais podem ajudar. Mas algumas vezes precisa de uma ajuda especial. Nestes casos existe um tipo especial de ajudante e ele atende por psicólogo que ajudam-nas a conhecerem suas preocupações e os sentimentos que fazem os problemas surgirem.

Normalmente existem muitas dúvidas e medos que as crianças desenvolvem por não compreender ou não ser explicado sobre a terapia, algumas dessas dúvidas é se o terapeuta também vai fazer injeção como acontece no hospital, se irá “ralhar” igual o professor da escola ou o medo de ir sozinho. Em um primeiro momento o terapeuta, irá conversar com os pais para compreender os problemas, após este momento os pais iram levar a criança para conversar com o psicólogo o qual irá planejar a melhor maneira de ajudar a criança, podendo ou não contar com o auxílio dos pais ou da escola neste processo, conforme a necessidade apresentada em cada caso.

Partindo disto tudo, a criança terá um acompanhamento clínico variando de uma ou duas vezes por semana, irá conversar e principalmente, brincar sozinho com o terapeuta, podendo conversar sobre qualquer coisa que quiser. De vez em quando o psicólogo irá conversar com os pais, pois com o auxílio deles no lar, as crianças melhoram mais rapidamente, os pais ajudaram o terapeuta a compreender melhor a criança e em contra partida o psicólogo irá ensinar-lhes coisas novas para fazer quando a criança tiver problemas. Porém é importante explicar que apesar desta troca com os pais ou escola, existe um ponto muito importante que o psicólogo preserva, que é o sigilo terapêutico, então tudo que a criança falar ou expor em atendimento é mantido em segredo. Os terapeutas não contam para ninguém as ideias ou sentimentos que as crianças têm.

Com o que a criança irá se deparar no consultório do psicólogo? Bem, lá a criança irá se deparar com brinquedos, material de Artes e algumas outras coisas também. Quando as crianças brincam, o psicólogo consegue compreender seus sentimentos e suas preocupações. Isso acontece porque brincando expressam seus sentimentos melhor do que falando sobre eles. Os terapeutas de crianças ajudam-nas a compreender seus sentimentos enquanto elas brincam. Os problemas das crianças melhoram quando elas compreendem seus sentimentos. Isso acontece porque as crianças, têm sentimentos que não sabiam que tinham.

Resumidamente as crianças brincam, conversam, desenham, enquanto o terapeuta ouve, observa, compreende, também brinca, examina e entende bem os sentimentos e conversa com a criança sobre eles. É natural as crianças expressarem alguns sentimentos e emoções durante este atendimento, elas podem demonstrar estar interessadas, confusas, tristes, brabas, satisfeitas, vários outros sentimentos também…. O psicólogo e as crianças conversam sobre esses sentimentos. Às vezes, isso leva muito tempo e em algumas situações quando as crianças se deparam com algum sentimento ruim ou que não goste, elas não querem ouvir o terapeuta, não gostão do que o psicólogo fala e querem parar de ir a terapia. Mas tudo bem… Isso vai passar!

Quanto mais as crianças conversam sobre qualquer um desses sentimentos, mais seus problemas vão ficando menores. Melhorar é difícil e leva bastante tempo. Mas, finalmente chega um momento em que a criança se sentem melhor e adquire uma inteligência emocional e é ai que o psicólogo irá prepará-la para a alta terapêutica e dar tchau.

Este tchau é diferente de outros pois o psicólogo é seu terapeuta, seu amigo especial e pode ser difícil este momento, porque é como dizer um longo tchau. Neste final, as crianças têm sentimentos muito importantes sobre os quais conversar. E, também às vezes os problemas podem voltar um pouco. Mas somente por um espaço de tempo. É uma questão de aceitar o término para normalizar novamente.

Gostaria de comunicar aos leitores que este será meu último artigo do ano e por motivos de agenda muito apertada será feito uma pausa nos próximos meses, e assim que possível será escrito novamente!

Desejo a todos, um Natal abençoado e que 2020 seja repleto de felicidades e bons momentos. Boas Festas!

Compartilhe:
Jornal HoraH

Jornal HoraH